30 julho 2017

RESENHA: LION - UMA JORNADA PARA CASA

Lion é uma história que deixa sobre nós uma reflexão de mundo. O amor, a bondade, a adoção, o altruísmo, dentre várias outras qualidades tão escassas, que o filme faz questão de jogar na cara. É sobre busca; por si, por seu lugar, por paz. É denuncia, é sobre pobreza, crianças perdidas, abandonadas. É sobre segunda chance, então e por quê não, sobre superação.
Quando tinha apenas cinco anos, o indiano Saroo (Dev Patel) se perdeu do irmão numa estação de trem de Calcutá e enfrentou grandes desafios para sobreviver sozinho até de ser adotado por uma família australiana. Incapaz de superar o que aconteceu, aos 25 anos ele decide buscar uma forma de reencontrar sua família biológica

Para começo de conversa, para mim, um filme que começa com a frase: "baseado em fatos reais" já ganha por si só muitos pontos (e muitas lágrimas). A primeira parte do filme, quando Saroo ainda é interpretado pelo pequeno Sunny Pawar, e passa por todos os desafios de estar sozinho e perdido, é a que detêm a maior parcela da minha atenção.

Já pararam para pensar nas milhares de crianças no mundo que estão nessa situação? Perdidas ou abandonadas. É horrível só de imaginar. Como dito antes, Saroo teve uma segunda chance, teve sorte, o que muitas crianças acabam não tendo. É a crítica, tem que se pensar mais nos que infelizmente ainda vivem a margem. Elas também merecem sua segunda chance.
O longa mantém uma narrativa lenta, melodramática e apelativa. Ao mesmo tempo que dá toda uma cartela de sentimentos para se sentir, também deixa a impressão de ter sido algo breve e superficial. Não há lacunas esta história, dá para entender muito bem tudo o que aconteceu, mas ainda assim precisa-se de mais. Uma típica história de Oscar, que por sinal, foi indicado seis vezes, mas sem nenhuma vitória.



Título: Lion - Uma jornada para casa
Título Original: Lion
Direção: Garth Davis
Data do lançamento no Brasil: 16 de fevereiro de 2017
Gênero: Drama, Biografia.
Duração: 1h59min
Diamond Films
Disponível no Netflix

NOTA

★★★★✰

Por fim, eu só tenho elogios mesmo para o longa. E se tem um comentário, feito sobre mim, que mostra o tanto que eu me entreguei a ele foi de: "muito bom para fazer esse coração de pedra chorar." E fato, depois de meses sem ter um filme que me arrancasse uma lagrimazinha se quer, esse me arrancou quase um oceano inteiro.

4 comentários:

  1. Olá
    Eu vi esse filme com minha sogra e minha cunhada. Achei muito lindo e emocionante. Eu, como mãe, me desesperei só de imaginar meu filho perdido. É uma história tocante.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é uma história realmente maravilhosa. Se eu que não sou mãe desesperei, imagina estar no seu lugar, não é?

      Excluir
  2. Eu tinha/tenho muito interesse em ver esse filme, mas não vi antes por motivos de tempo e falta de coragem, pois sabia que ia chorar, e agora com seu post tenho certeza hahahahah mas fiquei com muita vontade de assistir logo, então já vou colocar na minha listinha dos filmes-pra-ver-esse-ano-chamado-agosto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aproveita que esse-ano-chamado-agosto já ta indo para a metade e assiste logo de uma vezzzz! Você vai amar e chorar muito (mesmo)

      Excluir

Siga por email

Colisão Química © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.